Portal do Governo Brasileiro
X

Pequena Bibliografia sobre a Mulher e a Defesa

Notícias

Postado porNelson em 08/03/2017

Em homenagem às mulheres neste dia 8 de março o IBED publica esta Pequena Bibliografia sobre a mulher e a defesa.

Não se trata de uma bibliografia exaustiva sobre o tema, mas pode ser de grande valia para estudantes e pesquisadores que estejam se debruçando sobre o assunto.

A bibliografia conta não somente com livros e artigos sobre a questão de gênero, mas também obras escritas por mulheres sobre Defesa e questões relacionadas.

 

Bibliografia sobre a participação das mulheres na Defesa

ALMEIDA, M. R. D. Contexto político-institucional do processo decisório sobre a admissão da mulher militar. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,. Niterói, 2008.

ALMEIDA, Mariza. Batalhas Culturais de Gênero: a dinâmica das relações de poder no campo militar naval. 2008. 146f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Fluminense, Faculdade de Serviço Social, 2008.

ALMEIDA, Mariza. Contexto político-institucional do processo decisório sobre a admissão da mulher militar. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2, Niterói, 2008.

ALMEIDA, Vitor H. Mulheres nas Forças Armadas brasileiras: situação atual e perspectivas futuras. Câmara dos Deputados, Brasília, 2015. Disponível em: < http://www2.camara.leg.br/documentos-epesquisa/publicacoes/estnottec/areas-daconle/tema21/2015_291_estudo-sobre-mulheres-nas-forcas-armadasvitor-hugo> Acesso em: 14 /08 /2015.

Alves, J. H. (1999). A Mulher e as Forças Armadas Portuguesas. Nação e Defesa, 88, 2ª Série ,71-80.

ARAÚJO, Custódio José Abreu. Quadro auxiliar feminino de oficiais: uma nova proposta. Rio de Janeiro: Escola de Guerra Naval, 1987. (mimeo)

BAQUIM, C. A. Mulher e piloto: o caso das pioneiras da aviação militar brasileira. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 1,. São Carlos, 2007.

BARRANCOS, Dora. Relaciones de género en el ámbito de defensa: el camino hacia la equidad. In. Voces en el Fénix, ano 6, nº48, 2015.

BATTISTELLI, Fabrizio. As Mulheres e o Militar entre Antigas Dificuldades e Novas Potencialidades. Nação e Defesa, nº88, 1999.

BERNARDES Margarida, LOPES Gertrudes, SANTOS, Tânia. O Cotidiano das Enfermeiras do Exército na Força Expedicionária Brasileira (FEB) no Teatro de Operações da 2ªGuerra Mundial, na Itália (1942-1945). In. Rev. Latino-am Enfermagem, 2005. p.314-321

BOBEA, Lilian. Mujeres en uniforme: la feminización de las Fuerzas Armadas. In. Nueva Sociedad, nº213, 2008.

BONIFAZZI, Franca. Mujeres pioneras en las Fuerzas Armadas: la gestión pública narrada desde sus protagonistas. In: Mazzota, Cecilia (coord). Equidad de Género y Defensa: una política en marcha IX. Buenos Aires: Ministerio de Defensa, 2015.

CAIRE, Raymond. A Mulher Militar: das origens aos nossos dias. Biblioteca do Exército Ed. Rio de Janeiro, 2002.

CAIRE, Raymond. A mulher militar: das origens aos nossos dias. Tradução por Joubert de Oliveira Brízida. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Ed., 2002

CALÁS, M. B.; Smircich, L. (1996). From “the woman’s” point of view: feminist approaches to organization studies. In: S. Clegg; C. Hardy; W. Nord (Eds.). Handbook of organization studies. London: Sage.

CARREIRAS, Helena. (1997). Mulheres nas Forças Armadas Portuguesas. Lisboa: Edições Cosmos, 1997.

CARREIRAS, Helena. (1999). Mulheres Millitares em Portugal (1992-1998). Políticas, Processos e Protaginistas. In. Nação e Defesa, 88, 2ª Série , 81-111.

CARREIRAS, Helena. Gender and the Military: A Comparative Study of the Participation of Women in the Armed Forces of Western Democracies. Tese de Doutoramento. Florença. 2004.

CARREIRAS, Helena. Mulheres em Armas. A Participação Militar Feminina na Europa do Sul. Lisboa: Edições Cosmos e IDN. 2002.

CARREIRAS, Helena. Mulheres, direitos e eficácia militar: o estado do debate. In. Revista Militar, nº2536, 2013. p.477-495

CARRILHO, M. (1990). As Mulheres e Defesa Nacional: elementos para a perspectivação de uma política aplicada a Portugal. In. Cadernos da Condição Feminina, nº30, Lisboa: CIDM

CARVALHO, Sônia. Casa-Caserna: um percurso diferenciado na vida das mulheres militares. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – UFRN, Natal. Mimeo, 1990.

CARVALHO, Sônia. Casacaserna: um percurso diferenciado na vida das mulheres militares (Dissertação de Mestrado). 1990.

CASTELÃO, Maria Paula. Homens e mulheres em armas: duas dinâmicas de identidade? In Nação e Defesa, nº88, p.113-137. Lisboa: Instituto de Defesa Nacional, 1999.

CHAMBOULEYRON, Ingrid; RESENDE, Erica. Duque de Caxias e Maria Quitéria na mesma trincheira: o questionamento das representações do masculino e feminino pela mulher combatente. In XXX Encontro Anual da ANPOCS, Caxambú: 2006.

CYTRYNOWICZ, R. A serviço da pátria: a mobilização das enfermeiras no Brasil durante a Segunda Guerra Mundial. In História, Ciências, Saúde, 7(1), 73-91. 2000.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Mulheres, homossexuais e Forças Armadas no Brasil, in Castro, C. ; Izecksohn, V. ; Kraay, H. (orgs.), Nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2004.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Pós-modernidade, sexo e gênero nas Forças Armadas. in Security and Defense Studies Review, vol.3, nº.1, 2000.

EARLEY, A. On Woman’s army: a black officer remembers the WAC. [S. l.]: College Station Texas, 1989.

ELSHTAIN, Jean Bethke. Women and War. The University of Chicago Press: Chicago and London, 1987.

EPHRON, D. Women warriors. in Newsweek. September 11, 2000.

FÁZIO, Ednéia. A presença feminina no Exército e na Aeronáutica do Brasil. REDES, Santiago, Chile, 2003.

FROTIÉE, Brigitte ; PORTERET, Vincent. La Féminisation des armées occidentales: leçons d´une comparaison internationale. AFS- Association française de sociologie - L´inversion du genre, Brest, 2005. (mimeo)

FUNADA, Cassia Akemi Musuzaki et al. Direito de gênero nas Forças Armadas Brasileiras. Disponível em : http://www. uc3m.es/uc3m/inst/MGP/observatorio/Brasil3.pdf. Acesso em: 18 jul. 2007.

GIANNINI, Renata Avelar. Promover gênero e consolidar a paz: a experiência brasileira. Artigo Estratégio 9, Insituto Igarapé, setembro de 2014.

GOLDSTEIN, Joshua. War and Gender, Cambridge:Cambridge University Press, 2001.

GOODELL, Maia. Physical-Strength Rationales for De Jure Exclusion of Women from Military Combat Positions. Seattle University Law Review, vol.34:17, 2010.

GRANIZO, Estela. La Incorporación de la Mujer en las Fuerzas Armadas. In: BARRANCOS, Dora (et.al.). Las Mujeres y sus luchas en la Historia Argentina. Buenos Aires: Ministerio de Defensa, 2008. P.173-180

HACKER, B. C. Women and military instituctions in Early Modern Europe: a reconnaissance. [S. l.: s. n.], 1981.

LANNES, S. B., A inserção da mulher no moderno Exército Brasileiro. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,. Niterói, 2008.

LEONZO, Nanci. Nossas Marias Quitérias in Trabalho Feminino e Cidadania - organizado por Eni de Mesquita Samara. São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 1997.

Liga do Combatentes. (2008). A Mulher Portuguesa na Guerra e nas Forças Armadas. Lisboa: Liga dos Combatentes.

LIMA, Lana L. G. e Tardin, Elaine B. A mulher militar brasileira no século XXI: antigos paradigmas, novos desafios. In Revista Ágora nº 22. 2015.

LIVIETO, Cravo et al. Relatório de estudo de Estado-Maior: criação do Corpo Auxiliar Feminino da Reserva da Marinha. Rio de Janeiro: Grupo Alfa, 1980. (mimeo)

LOMBARDI, Maria Rosa; BRUSCHINI, Cristina; MERCADO, Cristiano. As mulheres nas Forças Armadas brasileiras: a Marinha do Brasil 1980-2008. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

LOPES, Fabiano L. B. Mulheres guerreiras: o serviço militar feminino nas forças armadas israelenses. Monografia. Universidade Federal do Paraná. 2003.

LUCERO, Mariel. Las Mujeres en las Fuerzas Armadas Argentinas. Breve análisis sobre su participación y estado actual de la situación. UNISCI Discussion Papers, n°20, Universidad Complutense de Madrid, p.36-49, 2009.

MARQUES Jr.; HIRON, Hermógenes. O Corpo Auxiliar Feminino da Reserva da Marinha. Rio de Janeiro, 1982. Monografia. Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

MARTÍNEZ, Víctor M. Las Mujeres em los ejércitos europeos y americanos. In: Escarda, María Gómez; Muñoz Isidro S. Las mujeres militares en España (1988-2008). Instituto Universitario General Gutiérrez Mellado – UNED, Madrid, 2009.

MATHIAS, Suzeley e ADÃO, Maria C. O. Mulheres e Vida Militar. In Cadernos ADENAUER XIV. 2013.

MATHIAS, Suzeley K. As Mulheres chegam aos quartéis. Resdal Eletrônica: Argentina, 2005. Disponível em: <http://www.resdal.org. Acesso em: Agosto 2008. PASSOS, C C. Militar como uma construção de gênero. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,. Niterói, 2008.

MAZULO, Luana F. S. Mulheres no Exército Brasileiro: um estudo sobre poder simbólico e relações de poder em uma organização militar. Dissertação de Mestrado. PUC-RJ. 2010

MILLER, Laura L. Feminism and the Exclusion of Army Women from Combat, Gender Issues, Vol. 16, No. 3, Summer 1998, pp. 33-64.

MITCHELL, Brian. Women in the military: Flirting with disaster. Washington D.C., Regnery, 1998.

MORAIS, Berta. Testemunho de uma enfermeira in : Depoimento de oficiais da reserva sobre a FEB. São Paulo; 1949.

NIGRI, S. Tzavá: as meninas vão à luta. In: O hebreu, São Paulo, ano 20, n. 245, p. 34-5, out. 2000.

PASCAL, Maria Ap. As Mulheres e a Guerra do Paraguai. Mackenzie, São Paulo, 2006.

QUÉTEL, Claude. As Mulheres na Guerra (1939-1945). São Paulo: Larousse do Brasil, 2009. 2 volumes.

RAMOS, Maria I. S. Ser militar na primeira pessoa: percepções de mulheres militares sobre um contexto profissional de hegemonia (ainda) masculina. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Dissertação de Mestrado. 2012

RAPHEL, Alexandra. Women in the U.S. military and combat roles. Journalist Resource, 2014. Diponível em: Acesso em: 09/10/2015.

REIS, Alexandre. Braço Forte, Mão Amiga: um estudo sobre dominação masculina e violência simbólica em uma Organização Militar. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais, 2007.

RODRIGUES, Antonio Carlos. O corpo feminino no Exército Brasileiro: condicionamentos básicos para implantação, vantagens e desvantagens, possibilidades de emprego. Tese (Doutorado em Ciências Bélicas ) – ECEME, Rio de Janeiro, 1989.

ROSA, Alexandre R. Mulheres Fardadas: Reflexões sobre Dominação Masculina e Violência Simbólica na Organização Militar. In EnANPAD. 2008.

ROSEN, Leora et ali. Gender compositions and group cohesion in U.S. Army units: a comparison across five studies. In Armed Forces & Society 25(3), 1999

ROVINA, Denise, SOUZA, Neyde. A Mulher Militar Brasileira: conquistando mares, alçando voos e desbravando terras. Laboratório ESG, 2015.

SANTOS, Lauciana R. A participação das mulheres nas forças armadas brasileira: um debate contemporâneo. Marília, UNESP.

SANTOS, Lauciana R. Da Roseta às estrelas: um debate sobre a representação feminina na marinha brasileira. Dissertação de Mestrado. UNESP. 2014

SAYWELL, S. Women in the war. New York, Viking, 1985.

SCHMIDT, F.; et al. (2005). Gênero e mudança organizacional: um estudo de caso sobre o pioneirismo das aviadoras da Força Aérea Brasileira. In Anais do 29º Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação Em Administração, Brasília: ANPAD.

SCHWETHER, Natália D. Agora é que são elas: desvendando o processo de incorporação das mulheres nas Forças Armadas de Brasil e Argentina. Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina. 2016

SEGAL , M. W. & DANDEKER, C. Gender Integration in Armed Forces: Recent Policy Developments in the United Kingdom. In: Armed Forces & Society 23, Fall 1996, pp. 29- 57.

SEGAL Mady, ISKRA, Darlene, TRAINOR, Stephen, LEITHAUSER, Marcia. Women’s Paticipation in Armed Forces Cross-Nationally: Expanding Segal’s Model. Current Publications, vol 50, 2002. p.771- 797.

SEGAL, Mady Wechsler. Women’s Military Roles Cross-Nationally: Past Present, and Future. In: Gender and Society, Vol.9, No. 6, Dec.1995, pp. 757-775.

SEGAL, Mady. Funções Militares das Mulheres numa perspectiva comparada. Passado, Presente e Futuro. Nação e Defesa, no. 88, 1999. p.15-43.

SILVA, C. R., Mulheres em armas: um estudo etnográfico do segmento feminino das forças armadas brasileiras. Monografia de Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2006.

SILVA, Cristina R. Gênero, Hierarquia e Forças Armadas: um estudo etnográfico acerca da presença de mulheres nos quartéis. Universidade Federal de São Carlos. 2006.

SILVA, Cristina. Masculinidades e Feminilidades nas Forças Armadas: uma etnografia do ser militar, sendo mulher. VII Reunião de Antropologia do Mercosul. Porto Alegre: 2007.

SILVEIRA, C. C., As mulheres militares no Brasil. In: LASA Congress. 2004. TAKAHASHI, E., Homens e mulheres em campo: um estudo sobre a formação da identidade militar. Tese de Doutorado em Educação, Programa de Pós-Graduação da Universidade de Campinas. Campinas. 2002.

SILVEIRA, Cláudio de Carvalho. As Mulheres na Marinha do Brasil. Santiago do Chile: Center for Hemispheric Defense Studies, Research and Education in Defense and Security Studies, 2003. (mimeo)

STANLEY, Sandra Carson. Women in the Military. New York, Julian Messner, 1993.

STIEHM, Judith H, ed. It’s Our Military, Too. Philadelphia, Penn: Temple University Press, 1996.

TAKAHASHI, Emília. Homens e Mulheres em campo: um estudo sobre a formação da identidade militar. Dissertação (Doutorado em Educação) – UNICAMP, Campinas. Mimeo, 2002.

TORRÃO, S. Anjos na Guerra. A aventura das enfermeiras paraquedistas portugesas. Alfragide: Oficina do Livro. 2011.

VAN CREVELD, Martin. Women in the Military: Gain or Repression? In: STUART, A. C. (comp) Democratic Societies and Their Armed Forces. Israel in Comparative Perspective, Frank Cass. Londres: 2000.

VAN-CREVELD, Martin. The Great Illusion: the women in the military. Millennium 29(2), 2000.

VIEIRA, Marco A. D. Presença Feminina das Forças Armadas. Nota Técnica da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. 2001

VILLARDO, C R. A mulher no Exército: In Revista Sangue Novo, n. 002, pp. 29-30. Resende, 2003.

YAAKOBY, R. (Org.) Mulheres nas forças de defesa de Israel. In: Só em Israel. São Paulo: Consulado Geral de Israel em São Paulo, 2001.

 

 

 

Bibliografia escrita por mulheres sobre Defesa

ABDENUR, A. E.; GAMA, CARLOS PS . Triggering the Norms Cascade: Brazil's Initiative for Curbing Electronic Espionage. Global Governance , v. 21, p. 455-474, 2015.

ABDENUR, A. E.; SOUZA NETO, D. M. . Brazil's Maritime Strategy in the South Atlantic: The Nexus Between Security and Resources. KAS-Auslands-Informationen, v. 12, p. 27-44, 2013.

ABDENUR, A. E.; SOUZA NETO, D. M. . 'O Brasil e a cooperação em defesa: a construção de uma identidade regional no Atlântico Sul. Revista Brasileira de Política Internacional (Impresso) , v. 57, p. 1, 2014.

ABDENUR, A. E.; SOUZA NETO, D. M. . Rising Powers and The Security-Development Nexus: Brazil's Engagement with Guinea-Bissau. Journal of Peacebuilding & Development, v. 9, p. 1-16, 2014.

ARAÚJO, Maria Celina. Defesa, Segurança Internacional e Forças Armadas. Mercado de Letras. 2009

CANSANÇÃO, Elza. E foi assim que a cobra fumou. Rio de Janeiro: Marques Saraiva,1987.

GRATIUS, Susanne. From soft to hard power? Security and geo-economics in Brazil-EU relations. In In Might and Right in Politcs – XIII Forte de Copacabana Conference Inernational Security. A European-South American Dialogue. Konrad Adenauer Stiftung. 2016

HERZ, Monica. BRICS questão nuclear: contestações e reafirmação diante dos mecanismos de governança global. In Carta Internacional vol. 6 n. 2. 2011.

HERZ, Monica. No place to for theory? Security studies in Latin America. In Thinking International Relations Differently. Routledge. 2012

HERZ, Monica. Organizações Internacionais – história e práticas. Elsevier. 2015

HERZ, Monica. Segurança internacional na América do Sul. In Segurança Internacional – Perspectivas Brasileiras. FGV Editora. Rio de Janeiro. 2010.

HEUSER, Beatrice. NATO, Britain, France and the FRG: Nuclear Strategies and Forces for Europe, 1949-2000. London: Macmillan, and New York: St Martin's Press, 1997, ppb. 1998

HEUSER, Beatrice. Nuclear Mentalities? Strategies and Belief Systems in Britain, France and the FRG. London: Macmillan, and New York: St Martin's Press 1998

HEUSER, Beatrice. Reading Clausewitz. London: Pimlico, 2002

HEUSER, Beatrice. The Bomb: Nuclear Weapons in their Historical, Strategic and Ethical Context in the series: Turning Points in History . London: Longman’s, 1999

HEUSER, Beatrice. The Evolution of Strategy: Thinking War from Antiquity to the Present Cambridge: Cambridge University Press, 2010

HEUSER, Beatrice. The Strategy Makers: Thoughts on War and Society from Machiavelli to Clausewitz. Santa Barbara, CA: Praeger, 2010

HEUSER, Beatrice. Transatlantic Relations: Sharing Ideals and Costs (Chatham House Paper) London: Pinter for RIIA, 1996

HEUSER, Beatrice. Western Containment Policies in the Cold War; The Yugoslav Case, 1948-1953. London: Routledge, 1989

HUNTER, Wendy. State and Soldier in Latin America: Redefining the Military’s Role in Argentina, Brasil and Chile. Peaceworks, n10, Washington , 2005

HUNTER, Wendy. The Brazilian Military after the Cold War: In Search of a Mission. Studies in Comparative International Development, Vol. 28, No. 4, 1994. p31-49.

MacMILLAN, Margaret. A primeira Guerra Mundial. Globo Livros. 2014

MATHEWS, Jessica Tychman. Redefining Security. In. Foreign Affairs, v. 68, n. 2, 1989.

MATHIAS, Suzeley. Novas ameaças: Dimensões e perspectivas: desafios para a cooperação em defesa entre Brasil e Argentina São Paulo: Sicurezza, 2003

MATIJASCIC, Vanessa. Operações de manutenção de paz das nações unidas – reflexões e debates. UNESP. 2014

MILLER, Laura L. & WILLIAMS, John Allen. Do military policies on gender and sexuality undermine combat effectiveness? In FEAVER, Peter e KOHN, Richard H. Soldiers and civilians: the civil-military gap and American national security. MIT Press, 2001

RAMINA, Larissa. Segurança Internacional – desenvolvimento teórico, desafios concretos e paradoxos. Jurua Editora. 2013.

REBELO, Tamya R. e MATHIAS, Suzeley K. Militares nas Nações Unidas no contexto de segurança humana: novos desafios e novas tarefas. In Relações Internacionais no mundo atual v1, n. 13. 2011

RODRIGUES, Simone Martins. Segurança Internacional e Direitos Humanos. Ed. Renovar. 2000

STAHL, Franziska. International Law – quo vadis? In Might and Right in Politcs – XIII Forte de Copacabana Conference Inernational Security. A European-South American Dialogue. Konrad Adenauer Stiftung. 2016

THOMAS, Caroline. In search of security: The Third World in international relations. Boulder: Lynne Rienner Publishers, 1987.

WEISS, Thomas (Org.) ; ABDENUR, A. E. (Org.) . Emerging Powers and the UN. 1. ed. London: Routledge, 2015.

 

Conheça também

 
Conheça nossos eventos: Pandiálogos, Workshops e Seminários
+ eventos
 
Saiba tudo sobre os estudos publicados pelo Instituto e colaboradores
+ saiba tudo
 
Assine a newsletter e receba os conteúdos do Instituto Pandiá
+ assinar